Star Wars Tecnologia de coisa nenhuma...: Porque eu não namoro a distância!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Porque eu não namoro a distância!

Aposto que muitos de vocês leitores criaram controvérsias em torno do titulo desse post, vou já começar a explicar o motivo (além de querer causar uma curiosidade a mais em vocês ao lerem isso).

Primeiramente, isso é pra tocar em geral aquelas pessoas que nos olham desacreditadas ou mesmo com piadas na ponta da língua quando contamos que namoramos alguém que está há muitas milhas de distância. Sinceramente? Não posso culpá-los, assim como existem pessoas que fazem faculdade de letras porque odeiam matemática ou de engenharia porque odeiam escrever (opa, eu sou uma exceção por ser engenheiro) as escolhas estão no mundo para quem quiser abraçá-las, mas voltando ao tópico, vou dizer o porquê de não namorar a distância.

A palavra distância vem do latim “distantĭa” e dentre seus principais significados, eu destaco esse: o ato ou efeito de duas entidades estarem separadas no espaço.
Sim, se aplica perfeitamente a nós não? Eu aqui, o meu amor lá e todo um mundo nos dividindo.
Difícil? Complicado? Desafiador? Sem dúvida que sim, afinal ninguém aqui quer criar falsas fantasias a respeito do que realmente se passa em nossos corações espremidos pela saudade, mas é claro que assim como todos os problemas do mundo, menos a morte, nos temos soluções e cartas na manga para lidar com isso.


Conheço muitas pessoas que lidam com empregos extremamente estressantes e que não as fazem felizes simplesmente pelo doce néctar do dinheiro alto no fim do mês. Eu particularmente prefiro fazer algo por puro prazer e sem muitas terceiras intenções, mas que me faça feliz.

Acordar todos os dias e ter o pensamento em alguém sabendo quase com certeza que esse alguém também teve o pensamento em mim. Sensações essas que podem ser sentidas com alguém que está ao seu lado ou mesmo alguém do outro lado do mundo, agora eu pergunto: Existe realmente essa distancia? O que é estar distante? É ter alguém do outro lado do mundo ou ter alguém do seu lado que simplesmente não faz a mínima diferença?

Eu prefiro todos os dias inventar a presença da minha amada, seja antes de ir dormir, com coisas que me lembram ela, com os meus pensamentos que vagam anos e anos a frente no futuro desejando várias e várias coisas bonitas e verdadeiras, do que simplesmente abdicar de tudo que ela me faz querer ser, ou melhor, que ela nos faz querer ser, apenas por um pequeno incomodo da distancia ou da saudade. Afinal, pensem bem, isso é pra sempre? Todo mundo que começa um NAD pensa sim, uma hora ou outra em juntar os trapos e finalmente ter a merecida vida juntos, já o exemplo do emprego é diferente, você quer continuar ganhando bem? Infelizmente não vais ganhar se largar de mão o mesmo, mesmo não gostando.

Então, eu não namoro a distância, mesmo porque a mesma tem prazo de validade e a cada dia ele vai diminuindo. Em vez de namorar a distancia, eu prefiro mil vezes namorar a Jéssica Larissa Pamplona (entenderam agora o título?), porque ela sabe se fazer presente, mesmo com a distancia de três mil e poucos quilômetros subindo o mapa do Brasil, ela não tem prazo de validade, mas todos os pormenores chatos e que as pessoas dizem ser “o fim” para os relacionamentos a distancia, esses sim, estão com os dias contados,e eu acredito muito nisso!

2 comentários:

Liziê disse...

óunnnnnn! \o/

Brenda disse...

YEAH, UM VIVA PRO NAD!
HAHAAHAH Ah, já até enjoei de dizer que teu texto tá lindo, caramba!
Entendo perfeitamente tudo que colocastes aí, o grande desafio é se fazer presente e não ficarem distantes, mesmo longe.
Claro que às vezes é inconveniente, tipo agora, que meu namorado está em alguma praia em Cabo Frio - RJ e eu tô estudando pra uma prova oral que eu tinha esquecido. Faz parte! hahaha
Beijos! ♥