Star Wars Tecnologia de coisa nenhuma...

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

PLANEJANDO O FUTURO - Parte I

Se desejamos ou almejamos algo para a nossa vida amanhã, devemos pensar e decidir sobre isso hoje.

Por que planejar o futuro?

Dentre as muitas considerações sobre planejamento, uma em especial chama a atenção:

“O planejamento não diz respeito a decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões presentes.”
(Peter Drucker)

Ao longo da nossa vida é comum estabelecermos muitas metas e objetivos os quais pretendemos um dia atingir, tais como: fazer uma faculdade, conseguir um bom emprego, fazer uma pós-graduação ou MBA, aprender outro idioma, entre outros. Costumamos dizer que são os nossos “planos” para o futuro.

Outra coisa também muito comum são as queixas que fazemos ao longo do tempo, quando questionamos: por que muitos dos nossos “planos” não se concretizam?

A questão a ser analisada é: Será que realmente estabelecemos planos para o futuro, ou apenas mentalizamos e idealizamos coisas que desejamos um dia ter, ser ou conquistar e chamamos isso de planos?

O mais provável é que a maioria das pessoas, que se questionam dessa forma, estejam na segunda condição, mentalizam e idealizam coisas que um dia desejam ter, ser, ou conquistar e entendem que como seus "planos" para o futuro.

Fazer planos, no sentido amplo, é estabelecer um projeto que inclui uma série ordenada de ações de operações e de meios destinados a atingir um fim.

Logo, planejar o futuro não é simplesmente imaginar o que você quer no futuro, mas agir criando condições para que aquilo que você quer no futuro se concretize.

O Planejamento, que é o ato ou efeito de planejar, consiste em um trabalho de preparação no qual se estabelecem os objetivos, as etapas, os prazos e os meios para a sua concretização.

O que voce planeja?

2 comentários:

Anônimo disse...

"Logo, planejar o futuro não é simplesmente imaginar o que você quer no futuro, mas agir criando condições para que aquilo que você quer no futuro se concretize."

excelente, braza!

se me permites contribuir, essa lição sobre planejamento anda de mãos dadas com a ideia de responsabilidade.

ao invés de nos sentirmos mais responsáveis pela sua própria "sorte", e entendermos q os bons frutos precisam ser conquistados, às vezes nós insistimos em esperar q as coisas se desenrolem sozinhas, q os nossos futuros se construam sozinhos.

o pior é q, qdo as coisas dão errado, poucas vezes somos capazes de enxergar e assumir a parcela de culpa que nos cabe, e saímos apontando culpados a torto e a direito. mais fácil, não? =P

a irresponsabilidade não se revela apenas por meio de ações, mas tb, e principalmente, por meio de omissões, e são essas as hipóteses que dão mais trabalho pra detectar.

mano, o teu post foi brilhante, e veio num momento mto oportuno. espero q ele passe pelos olhos de algumas pessoas. =]

Bergh.

Anônimo disse...

opa...

onde se lê:

"mais responsáveis pela SUA própria sorte"

leia-se:

"mais responsáveis pela nossa própria sorte"

Bergh

xD