Star Wars Tecnologia de coisa nenhuma...: O pior do amor...

terça-feira, 6 de julho de 2010

O pior do amor...

O pior do amor não é a solidão, o vazio, a sensação de faltar um pedaço, a expectativa constante de encontrar alguém diferente. Porque na solidão, está o desejo de um outro.
O pior do amor não é o susto do encontro, a ansiedade de saber se está apaixonado, o medo de dar tudo errado, a indecisão sobre o mais certo e o mais errado a se fazer, não é aquela insegurança e atrapalhação dos primeiros momentos. Porque todos os inícios são deliciosos pelo prazer de ter coragem pra começar.
O pior do amor não é a idealização do outro, a desconcentração, a perda de si mesmo e o olhar estranho para o restante do mundo. Não é essa sensação de que finalmente encontramos o que estávamos procurando, e o terror de perder tudo isso de uma hora pra outra. Porque nos primeiros sonhos, estão o brilho da paixão e a alegria.
O pior do amor não é a realidade, o dia-a-dia, o tédio, a rotina, a percepção de quem é realmente aquele que você ama, não é ver todos os defeitos, não é se decepcionar e magoar com o que o outro pode fazer, não é o abrir de olhos para aquilo que tu nunca viu. Porque na realidade estão a maturidade e os principais ganhos.
O pior do amor não é o montante de bobagens que fazemos, nossas escolhas erradas, não é quando fazemos o pior tentando o melhor, não são os erros, não é olhar para o outro e ver como somos capazes de magoá-lo, não é baixar a guarda e ser ferido. Porque em todas as tentativas, está a vontade de acertar, está o cuidado em ser o melhor que podemos.
O pior do amor não é a carga negativa dos sentimentos ruins, não é o ciúme, a inveja, a mágoa, não é o egoísmo, não é enxergar nossas próprias fraquezas, não é o abandono, nem a infantilidade. Porque é o lado escuro que dá sentido ao claro.
O pior do amor não é quando tudo começa a escorrer entre os dedos,quando temos a sensação horrível de que vai acabar a qualquer momento, quando tentamos, em vão, fazer o tempo voltar pra salvar o que já está perdido, não são as tentativas desesperadas de evitar o fim. Porque mesmo na dor, ainda há aprendizado e luta.
O pior do amor não é nem mesmo ser rejeitado, não ser escolhido, porque no sonho houve esperança.
O pior do amor não é nem mesmo o fim, a saudade, a tristeza de deixar ou ser deixado, porque mesmo isso tudo deixa algo para guardar e fazer história.
O pior do amor é a espera… É a indiferença. Especialmente quando a espera é por quem não vem.

Vivi, 28/03/10

Um comentário:

Anônimo disse...

AEUUIEOAUEAEAUOUOEAUEAUIOUEAOEIAIUEAO que testo plagiado da porra
http://blog.mafaldacrescida.com.br/?p=412