Star Wars Tecnologia de coisa nenhuma...: Ser ou nao ser?

domingo, 24 de maio de 2009

Ser ou nao ser?

"Diga...quem você é, me diga..."
Pitty - A Máscara

Esse trecho da musica da Pitty demonstra com grande louvor o tema que eu vou abordar aqui no blog hoje.
Primeiramente, antes de entrar no foco principal, gostaria de agradecer aos comentários do post anterior e dizer que serão todos sempre bem vindos.

Voltando ao foco da postagem, voce seria capaz de me responder quem voce é? não digo daquela pessoa que sai de casa todo dia para ir estudar/trabalhar, conversar sobre coisas "interessantes" e falar mal daquele ladrão que roubou aquela grana preta do fulano de tal.
Me refiro a seu "eu" mais interior, aquele que poucas pessoas são capazes de assumir, e q a maioria finge que nao existe, aquele ser que se solta após alguns goles de cerveja ou em algum momento de muito desespero.

Sempre gosto de me usar nos meus exemplos, porque, como voces irão notar muito daqui pra frente, geralmente meus posts abordam temas sobre coisas que eu ja fiz/faço, que ja acreditei/acredito ou que ja passei/passo, e essa de ser na maioria das vezes alguem que não sou, fez e muito parte da minha historia.

Há alguns anos atrás, quando ainda criança, sempre quis ser amigo de todo mundo, nunca eu arrumei briga nem nunca fui de ficar interessado em ser o numero um de atenção, eu apenas era eu mesmo, o garotinho gordo, que comprava o lanche e se alguem pedisse dava sem nem questionar, o garoto que morria de medo quando alguem o culpava de algo, mesmo que nao fosse sua culpa.Mas, sempre levava tudo na esportiva, afinal nao me interessava o que eles pensavam, eu tinha amigos e eles gostavam de mim, brincava de lutas de pokemons imaginárias e ouvia me dizerem que isso era coisa pra assistir, e nao pra brinca, eu nem ligava, uma ou duas duzias de opinioes alheias nao iriam me abater, mas foi ai que eu me enganei.

No inicio da adolescencia cometi minha primeira "Teleguiação", beijar uma menina sem querer faze-lo, confesso que foi horrível, eu nunca fui da modinha do "fica" mesmo quando esta tava no seu auge, sempre achei algo muito descartável, e confesso que essa opiniao começou a se formar e se fixar depois desse primeiro beijo.

O tempo passava, e vez ou outra eu me privava de algo que gostava, por receio (coisa da infância ainda) de sofrer repreensão de alguem, so agora que vim perceber que tudo aquilo que eu ouvia dos outros garotos vinha fazer efeito agora, na adolescencia, isso me rendeu um curto periodo de sofrimento e aprendizagem.

Aprendizagem, isso é algo divino e que poucas pessoas sabem utilizar, tropeçar numa pedra, cair e levantar é ótimo, mas nao significa tornar a queda algo rotineiro. Após muito penar nessas escolhas erradas de fazer algo que eu nao queria ou ser alguem que nao era so por me preocupar com coisas externas, eu aos poucos voltava a ser eu mesmo. Minha primeira atitude foi aprender a nao me intimidar com qualquer coisa, com qualquer opiniao ou atitude. Comecei a respeitar minhas idéias e com isso, fiz outras pessoas respeita-las tambem,

Depois disso comecei a falar besteira, e todo mundo ouvia, comecei a usar qualquer roupa (quando dá vontade me visto bem, quando não, ponho a primeira coisa que vier, huaheauhea sou muito relaxado nesse quesito) e até fiz cosplay, tentaram até tirar graça comigo na faculdade (fiz cosplay com 20 anos e farei sempre que der) "Ei braza, o senhor tá famoso agora se vestindo de star wars é?(num tom irônico)", eu respondi numa boa "É, dei até autógrafo, e se Deus quiser ano que vem faço um mais estranho ainda", isso foi o suficiente pro rapaz ficar sem ter o que dizer.

E Agora estou aqui, escrevendo trocentas linhas desse pequeno trecho da minha vida, não sei se voces leram tudo ou se pularam um ou dois paragráfos, o importante é a mensagem que eu tentei passar:

"Nunca deixe ninguem te julgar, nem te fazer pensar que voce é insignificante ou que nao tem importancia seus pensamentos e atitudes, geralmente pessoas assim são amarguradas por nao terem sido quem realmente queriam ou por nao fazer tudo aquilo que, apesar de ser completamente diferente, as faça feliz. Nao use mascarás, nao seja outra pessoa, lembre-se que voce pode enganar a todos, menos a você mesmo"

Um otimo começo de semana para todos voces!

Rafael Cunha

Um comentário:

Yuyu disse...

Caralho, Sapekenhaw, quando eu leio/ouço coisas profundas eu sinto um buraco negro na minha barriga! :x
Agora já sei pelo menos um pouquinho sobre o meu Sapekenhaw! (R²) -q

Pronto, me inspirou postar sobre minha infância no meu blog hoje. UHUAIFHAIUHDUISAHDIUHAISUD